Os mitos e as verdades sobre os dentes do siso

Seja por causar incômodos, dores, nascer parcialmente ou não nascer, os dentes do siso  têm se tornado cada vez menos necessários dentro da boca das pessoas. 

Os terceiros molares são herança dos nossos antepassados, que precisavam de dentes maiores para triturar os alimentos que eram crus ou muito mais duros. Com os métodos de cocção sendo aperfeiçoados e uma dieta com pratos mais macios, a utilização deste dente foi sendo reduzida cada vez mais.

 Além disso, com o passar dos séculos, nosso cérebro cresceu, exigindo mais espaço na caixa craniana, fazendo com que a nossa arcada dentária diminuísse e fosse ficando cada vez mais incapaz de comportar os antigos 32 dentes. 

Passando pelo processo de evolução, hoje os famosos “dentes do juízo” ainda despertam muitas dúvidas, dores de cabeça e aflições. Mas nós estamos aqui para esclarecer os mitos e as verdades sobre este assunto. 

  • Algumas pessoas nascem sem os dentes do siso – VERDADE!

Muitas pessoas atualmente não têm a base que forma estes dentes.

  • O dente do siso entorta os outros dentes. – MITO!

O que entorta os dentes é a falta de espaço entre eles para acomodá-los na arcada dentária. Não é culpa de um dente específico. 

  • Os sisos ficam expostos à cáries mesmo antes de nascerem. – MITO!

Todos os dentes ficam expostos à cáries a partir do momento que começam o processo de erupção. Por menor que seja a exposição do dente, se tem contato com os alimentos, corre o risco de ter cáries. 

  • É necessário fazer repouso após a extração de um siso. – VERDADE!

Para retirar um dente do siso é feito um procedimento cirúrgico, por isso o repouso é recomendado. Claro que depende do nível de complexidade da cirurgia, alguns dentes são mais fáceis de retirar e cicatrizar, já outros são mais complicados, precisando de um tempo maior de cuidados. 

  • Os dentes só podem ser retirados depois que nascem. – MITO!

Através de exames detalhados é possível saber a posição, o formato e se o dente é “problemático” mesmo antes da erupção. Assim, o cirurgião dentista pode saber qual o melhor procedimento para seguir com o paciente. 

Na realidade, os diagnósticos certos para cada paciente só podem ser dados por um dos nossos especialistas. Por isso, se você está adiando tirar suas dúvidas sobre os terceiros molares, crie juízo e não esqueça disso na sua próxima consulta.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não pode ser publicado.