Mitos e verdades sobre a saúde da gengiva

Entenda sobre retração gengival, doenças periodontais e tudo que você precisa saber para um sorriso saudável

Pensar em saúde bucal é, na maioria das vezes, pensar na saúde dos dentes. Mas o bom estado do tecido da gengiva também faz parte do processo de manutenção do sorriso e da qualidade de vida do paciente. 

O hábito de zelar por cuidados preventivos facilita (e muito!) na manutenção da saúde da gengiva, e é um dos alicerces da nossa filosofia, uma vez que os tratamentos preventivos são menos invasivos, complicados e onerosos. 

Outro aliado do cuidado preventivo é a informação: ela traz segurança, conforto ao paciente e desmistifica tabus. Por isso, o espaço hoje aqui na Abla é para falar sobre tudo que você precisa saber a respeito da saúde da gengiva, esclarecendo as dúvidas mais comuns e apresentando quais as doenças que podem aparecer. 

Para descobrir o que é mito e o que é verdade sobre a saúde da gengiva, é só continuar com a gente nessa leitura! 

 

A gengiva pode ser afetada por outras doenças: mito ou verdade? 

Verdade! Um exemplo é a diabetes mal controlada, que pode resultar nas famosas doenças de gengiva, podendo ser a gengivite ou periodontite. 

Estudos relacionam o aparecimento das doenças de gengiva com o aumento da taxa de glicemia, e indicam maior estabilização da taxa glicêmica com a manutenção da saúde bucal e contenção desta doença de gengiva. 

A gengivite é uma inflamação que pode se manifestar, causar desconfortos e até sangramento na gengiva. Quando agravada, a periodontite aparece: uma infecção bacteriana dos tecidos, ligamentos e ossos específicos que envolvem e sustentam os dentes. 

A periodontite pode resultar na perda dos dentes e deve ser tratada tão logo quanto possível. É importante ressaltar que as doenças de gengiva têm maior complexidade em pacientes diabéticos quando comparadas com pacientes com níveis de glicose regulados. 

 

Fatores externos podem causar a diminuição da gengiva: mito ou verdade?

Verdade! Alguns fatores como:

  • Bruxismo: Dependendo da gravidade da situação, é possível que ao ranger haja pressão nas suas gengivas, o que pode fazer com que elas recuem.
  • Força demasiada na escovação: Pode desgastar o esmalte dos seus dentes e fazer com que as suas gengivas recuem.
  • Genética: Assim como no resto do seu corpo, as características de sua gengiva também são determinadas pela genética. Por isso, se um ou ambos os pais têm recessão de gengiva, maior é o risco de desenvolver essa condição.
  • Trauma no tecido da gengiva: Como no tópico anterior, a força faz diferença. Em um trauma, o tecido da gengiva pode recuar e gerar recessão.
  • Posição anormal de um dente: A falta de alinhamento dos dentes pode causar recessão gengival.
  • Doenças na gengiva: Na doença gengival grave, chamada periodontite, as gengivas podem se afastar dos dentes, criando bolsas e fazendo com que os dentes fiquem soltos. 

Podem causar a diminuição (também chamada de retração ou recessão) gengival. A retração ou recessão gengival é o que acontece quando o tecido da gengiva baixa em relação ao dente, deixando parte da raiz dentária exposta.

A parte boa é que há tratamento (vamos chegar lá), mas o mais adequado é que cada caso seja tratado de acordo com a causa do problema. 

 

A gengiva se regenera sozinha: mito ou verdade? 

Mito! Essa é uma das perguntas mais feitas na internet, mas a partir do momento que a gengiva estiver danificada devido a, por exemplo, periodontite (que como citado anteriormente, é a forma mais grave de doença gengival) não é possível que as gengivas retraídas voltem a crescer. 

Apesar disso, ainda que a recessão gengival não possa ser revertida, existem tratamentos que podem ajudar a conter, ou seja, prevenir o agravamento do problema.

 

Tratamentos para retração da gengiva 

 

Raspagem e alisamento 

Uma das opções mais simples de tratamento em caso de recessão gengival que o dentista pode sugerir é a raspagem e alisamento radicular.

Este é um procedimento de duas fases, que podem resultar em mais de uma visita ao consultório. Na primeira etapa, é removida toda a placa e tártaro endurecido acima e abaixo da linha da gengiva (local em que a gengiva se junta ao dente). A segunda etapa, que pode ser conduzida com anestésico local, consiste em um alisamento das raízes dos dentes para ajudar as gengivas a fixarem-se novamente aos dentes. 

 

Enxertos de gengivas 

Outra opção de tratamento, já no outro extremo (para quem perdeu tecido das gengivas) é uma cirurgia dos tecidos moles ou enxerto das gengivas.Esse procedimento utiliza o tecido das gengivas adjacentes ou do céu da boca para enxertar, e sutura o mesmo ao tecido das gengivas para cobrir a raiz exposta do seu dente.

 

Conversar com um médico é a melhor opção: mito ou verdade?

Verdade! Esta você já sabia responder, mas é importante enfatizar que em todos os casos, o melhor a se fazer é consultar um profissional capacitado em periodontia. 

Independente de ter recessão gengival, ter em um nível brando ou não ter, você será aconselhado a como manter em casa a gengiva saudável e quais procedimentos devem ser tomados no consultório. 

Agora é sua vez: agende uma consulta com nossos especialistas para descobrir o que mais é mito e verdade! 

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não pode ser publicado.