Mau hálito: entenda a origem e saiba como resolver

o já passou pela complicada posição de se sentir desconfortável estando na presença de alguém com mau hálito, ou o contrário: estando com receio de estar com mau hálito.  

Este problema, tecnicamente chamado de halitose, é indesejado por todos e, infelizmente, bastante comum. Por isso, é muito importante que na solução esteja envolvido o processo de informação e investigação, para entender a causa do problema. 

O cuidado preventivo também é um grande aliado, e quando associado à investigação com busca de informações em fontes seguras, por meio de um profissional capacitado, torna o combate contra o mau hálito bem mais fácil de ganhar. 

A ideia de hoje é justamente trazer informações aos nossos leitores sobre quais são as possíveis causas da halitose e o que pode ser feito para reverter. Isso porque na Clínica Abla, para além do conforto físico, prezamos pelo conforto emocional do paciente, e isso é conduzido criando uma verdadeira experiência para o cliente, desde a consulta no site, passando pela primeira consulta até o final do tratamento. 

Acreditamos que a relação entre médico e paciente também faz parte do pacote e deve ser baseada na confiança e segurança, o que torna os procedimentos mais eficazes e confortáveis. 

Por isso, para começar uma experiência com a Abla e entender melhor sobre a halitose, continue lendo!

 

O que causa mau hálito?

É muito comum ouvir por aí que o mau hálito (ou halitose) pode estar relacionado a problemas gástricos, mas em cerca de 90% dos casos, a disfunção está totalmente dentro da boca.

Existem mais de 40 causas para o mau hálito. O maior motivo, em boa parte das situações, é a higiene bucal feita de maneira errada. A má escovação causa acúmulo de alimentos entre os dentes, na língua e gengivas. Com isso, os resíduos desses alimentos são dissolvidos pelas bactérias que vivem na boca causando o cheiro forte. 

Outros problemas, como placa bacteriana, periodontite e boca seca também podem desencadear a halitose. As bactérias ajudam a desenvolver o mau odor ao mesmo tempo em que aumentam o risco de doenças gengivais. Já a boca seca prejudica o odor porque a saliva é a responsável pela remoção de partículas de comida. Quando não há essa “limpeza” natural, os resquícios que ficam na boca podem causar halitose. 

Próxima deles, também existem as condições médicas: quando há alguma infecção respiratória, inflamação nos seios nasais, pulmão ou garganta, o hálito também pode ser afetado. Isso pode estar associado ao processo de liberação de secreções por alguma das vias durante a melhora do paciente. 

Por fim, não podemos esquecer dos fatores externos que interferem no hálito. Alimentos com forte odor podem causar halitose (especialmente quando atrelados à má higiene oral), bem como o uso de cigarros e/ou charutos. Produtos compostos por tabaco deixam um forte odor na boca, além de serem prejudiciais à saúde, pois aumentam as chances de doenças como o câncer de boca. 

 

E o mau hálito matinal?

Quanto a isso você pode ficar despreocupado: o mau hálito de manhã é muito comum e não acontece só para quem tem doenças bucais. É importante lembrar que são muitas horas sem comer em conjunto com a redução natural na produção de saliva durante o sono, que já foi mencionado anteriormente como um fator que altera o hálito. Por isso, esses são os principais motivos do odor.

Apesar disso, é fundamental a observação. Fique atento, pois se após tomar café da manhã e escovar os dentes o cheiro continuar, é possível que a causa seja a halitose e é preciso tratamento.

Outro ponto que deve ser levado em consideração é que em muitos casos não é possível saber que se tem mau hálito. É muito natural não sentir o próprio cheiro, uma vez que o olfato acostuma, e justamente por isso é imprescindível fazer visitas periódicas ao dentista. O cuidado preventivo vai permitir que diagnósticos como esse sejam facilmente realizados, e o problema não se agrave. 

Mas para bocas saudáveis, as recomendações para evitar o mau hálito no dia a dia não são nada complicadas. É preciso apenas beber bastante água e higienizar bem a boca. 

 

Como combater o mau hálito

A esta altura, você já entendeu que a boa higiene bucal é a chave de tudo, não é mesmo? Escovar os dentes pelo menos três vezes ao dia, passar fio dental diariamente e escovar a língua podem ser passos simples que tornam a halitose um problema distante. 

Outro passo que faz toda a diferença é consultar um profissional de confiança para identificar a halitose e conduzir os tratamentos necessários. Os especialistas da Abla estão aguardando para avaliar qualquer questão que esteja te atrapalhando a sorrir mais confortavelmente e ter qualidade de vida. 

Não perca tempo e agende agora sua consulta

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não pode ser publicado.