Anestesia odontológica: as informações que você precisa saber para se sentir seguro

Qual anestesia odontológica deve ser usada? Em quanto tempo o efeito passa? Confira essas e outras perguntas respondidas neste artigo para te tranquilizar!

Sentir dor é extremamente desconfortável! E passar por isso durante algum procedimento odontológico, que já carrega consigo estigmas e traumas, é pior ainda. É justamente aí que entra a anestesia. Ela é uma grande aliada do dentista em certos momentos, mas ainda afasta muitos pacientes dos consultórios por causar medo e dúvidas. Mas este recurso possibilita que o paciente se encontre relaxado e o médico possa ter mais precisão para trabalhar.

A Clínica Abla tem como prioridade promover o bem-estar dos pacientes e sanar, de maneira empática, todas as dúvidas e inseguranças que surgem desde a chegada na clínica, passando pela primeira consulta até o final do tratamento.

Nós temos o compromisso de fazer com que o hábito de ir ao dentista esteja associado a um momento de despreocupação. Por isso, aqui você vai encontrar o que precisa saber sobre esse assunto e entender qual o protocolo de anestesia utilizado na nossa clínica. Então, vamos nessa!

 

O que é a anestesia? 

A anestesia é uma solução injetada em um nervo escolhido próximo da área que se deseja tratar, com o intuito de adormecer essa região. Dessa forma, a anestesia pode ser só para dessensibilizar um dente, por exemplo, ou toda a parte inferior da mandíbula. Seu papel é essencial para transmitir segurança para o paciente durante o procedimento necessário.

É comum que o momento da aplicação gere uma expectativa de dor, pois a anestesia resulta de uma picada de agulha nos tecidos, mas a experiência dos profissionais envolvidos é fundamental para minimizar a sensação de desconforto com diferentes técnicas de aplicação. Além disso, existem os anestésicos tópicos que proporcionam maior  conforto para a etapa de aplicação da agulha. 

A avaliação sobre a necessidade do uso da anestesia odontológica surge do tipo de tratamento indicado. Por exemplo, ao se tratar da extração de uma cárie superficial, não é necessária intervenção. Mas para a extração de um dente, é preciso que o paciente esteja sob o efeito anestésico. O uso de anestesia também pode ser recomendado para pacientes que possuem maior sensibilidade à dor. Isso acontece em virtude de uma característica do organismo da pessoa ou por questões psicológicas (ansiedade extrema e/ou insegurança). Os distúrbios emocionais tendem a provocar o estado de alerta e ampliar todas as sensações no corpo. 

 

Tipos de anestesia  odontológica

Conforme dito anteriormente, o tipo de anestesia depende da finalidade desejada. Para operações mais simples,o estado do corpo pode permanecer igual e a anestesia local é a indicada. Ela causa perda temporária de sensibilidade – incluindo dores em uma parte do corpo ,mas sem comprometer o nível de consciência. 

a anestesia geral viabiliza a sedação por um longo período e é recomendada para um maior conforto durante a operação. Ela deve ser conduzida por um profissional qualificado em ambiente hospitalar.

O nosso objetivo é te ajudar a cuidar da saúde bucal e passar por esse processo com o mínimo de dor!  

 

A anestesia utilizada na Clínica Abla  

Como o investimento em tecnologia é um dos nossos pilares, utilizamos ferramentas que colaboram para a melhor experiência dos nossos clientes. Nós oferecemos as opções de sedação e anestesia como intervenção, e a escolha é feita de acordo com a conveniência de cada uma para o tratamento odontológico. Entenda melhor abaixo:

  • Anestesia computadorizada: geralmente, o que causa a dor durante a aplicação da anestesia é a velocidade na qual o anestésico é aplicado. Isso acontece porque em uma seringa normal, não é possível controlar manualmente o êmbolo. Na tecnologia que utilizamos, o fluxo de aplicação do anestésico é controlado por um aparelho eletrônico (Morpheus®) que regula a velocidade e o volume de anestésico injetado, tornando a anestesia indolor e minimizando seus efeitos colaterais. 
  • Sedação mínima: é feita com medicação via oral, levando o paciente a um estado de relaxamento e possibilitando um tratamento mais tranquilo. 
  • Sedação consciente: realizada com medicação endovenosa por um médico anestesista que acompanha o paciente durante todo o procedimento odontológico. 

Assim, garantimos medicações eficazes e assistência profissional para o paciente do início ao fim, em qualquer tratamento. 

 

Reações e efeitos colaterais 

Para qualquer uma dessas intervenções citadas acima, é protocolo padrão a realização de um questionário de saúde. A ideia é avaliar o risco anestésico, ou seja, a aptidão que o paciente tem para se submeter a um procedimento com sedação/anestesia. A variedade de medicamentos no mercado atual aumenta as opções para atender a cada indivíduo, e garante o cuidado nessa parte.

Mesmo assim, alguns efeitos colaterais são possíveis, apesar de serem incomuns. Ao utilizar anestesia local, há possibilidade de dormência além da gengiva, por exemplo, como nas pálpebras. Hematomas também podem acontecer caso um vaso sanguíneo seja acidentalmente atingido pela agulha durante a aplicação. 

O famoso choque anafilático (reação alérgica rápida e severa, caracterizada pela queda de pressão arterial associada à taquicardia, algumas vezes com um edema na glote) também é motivo de preocupação ao pensar em anestesia, mas é muito improvável devido ao questionário de saúde que rastreia fatores como essa alergia. 

Todos os riscos que envolvem uma anestesia/sedação podem e devem ser esclarecidos com o dentista para o prosseguimento de um eventual tratamento odontológico. A nossa conduta é de fornecer o máximo de informação, mão de obra qualificada e instrumentos para oferecer proteção emocional e física ao paciente. 

 

Quando passa o efeito da anestesia odontológica? 

Os efeitos causados pela anestesia odontológica são diferentes de acordo com o método utilizado. Caso a anestesia seja local ou com sedação consciente, os efeitos dependem de fatores individuais e passam em algumas horas. Caso a sedação seja mais profunda, é necessário o acompanhamento de um terceiro para garantir o retorno do dentista e repouso no restante do dia. 

 

Converse com um profissional! 

Uma boa fonte de informação é sempre válida, mas nada melhor que conversar com um profissional qualificado para tirar todas as suas dúvidas e te passar mais clareza!

Conseguiu entender mais sobre anestesia? Está interessado em agendar sua primeira consulta? Entre em contato através do formulário de contato. Será um prazer atendê-lo!

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não pode ser publicado.